29 out 2013

#desembucha X Perséfone de Amor à Vida

LIFESTYLE > Alimentação

fabiana-karla-e-persefone-em-amor-a-vida-1368737439151_956x500

Eu evitei ao máximo falar desse assunto no blog mas como a coisa só piora na novela Amor à Vida, resolvi me posicionar.

Já faz pelo menos uns 2 meses que nao vejo essa novela. Perdi o interesse completamente, algo que nem Salve Jorge (que também foi um fiasco) conseguiu, porque alguma coisa ali ainda me fazia sentir que o autor nao tinha se perdido e o melhor: que  nao tinha a intençao de jogar tanto preconceito na nossa cara.

A personagem Perséfone (Fabiana Karla) é alvo de risadas e muito preconceito na trama. Até aí, nenhuma novidade para o universo plus size, que com certeza (e infelizmente) passa por humilhaçoes bem piores todos os dias.

Só que nem por isso, o autor precisa continuar usando o tema para ridicularizar um grande número de mulheres que já provaram que sao lindas, amadas, talentosas e felizes.

Nem por isso, ele precisa sair por aí reforçando a ideia de que, se você nao veste uma calça 38, vai morrer virgem e sozinha. E o pior: a felicidade de uma mulher acima do peso, para Walcyr Carrasco, parece estar no casamento. Patético!

Eu nunca escrevi uma novela, mas nao preciso disso pra saber que se a mocinha for apenas bonita, sem uma história ou valores fortes, ela nao será ninguém na trama. Nao preciso de muita experiência no assunto pra saber que um vilao nao pode ser apenas mau. Entao por que Walcyr, a Perséfone tem que ser apenas gorda? Tem que ser apenas a gordinha que, como nao terá ninguém para dormir com ela em seu quarto, pode muito bem emprestá-lo para a sua amiga levar quem quiser para transar na sua cama?

Você que me segue pode estar se perguntando agora: “Mas Fê, onde fica o programa #desembucha nessa história e toda a sua dedicaçao em levar uma vida saudável?”

Queridas, uma coisa nao isenta a outra. Eu sou a favor sim de uma vida saudável e mais que isso, sou a favor de uma autoestima pra lá de pigmentada. Mas isso nao tem nada a ver com ser gordo ou magro.

Sou sincera em dizer que nao me sentia bem quando estava acima do peso e fiz de tudo para reverter o quadro, mas eu tenho amigos e familiares que vestem acima de 46 e a autoestima deles dá de 10 na minha.

Já disse isso aqui e vou repetir: o que faz uma pessoa ser saudável e feliz, nao sao os quilos que ela pesa. Tem muito magro com taxas altíssimas de colesterol, entre outros problemas sérios de saúde, tomando vários remédios contra a depressao. Assim como também têm vários obesos precisando de ajuda para melhorar o seu condicionamento físico e ser ainda mais feliz. E é só por isso que o #desembucha existe.

O que eu quero dizer com esse texto é que nao precisamos de uma novela, em pleno horário nobre, que nao utiliza a audiência que possui para mudar uma situaçao que já passou dos limites.

Nao precisamos mudar um estilo de vida só pra nos encaixarmos nos padroes estabelecidos.

Nao precisamos de mais mulheres gordas sendo alvo de piadas em seu trabalho, no dia seguinte ao capítulo em que Perséfone foi ridicularizada mais uma vez.

Nao precisamos de mais um programa que diga que as mulheres gordas sao feias e inadequadas, porque isso a sociedade se encarga de dizer a elas todos os dias.

E eu sei que o caso Perséfone nao é o único a ser ridicularizado na novela. Ela nao é a única personagem que sofre preconceito, mas poderia ser aquela que mostra um lado que realmente EXISTE: mulheres gordas sao lindas, felizes, sexys, se casam se quiserem, sao bem sucedidas em seu trabalho e podem sim escolher com qual parceiro querem se relacionar.

Em outras palavras, eu vou continuar defendendo a bandeira de que exercício físico e uma alimentaçao saudável sao super necessários, mas nao porque boa parte da populaçao deseja emagrecer e sim porque ninguém é capaz de ser 100% feliz e esbanjar saúde, sem essas duas coisas. Seja ele gordo ou magro.

“Mas Fê, isso é a vida real. Isso acontece todos os dias…”

Meus amores, o mal do ser humano é se concentrar demais apenas no lado ruim das coisas. Isso acontece todos os dias? Acontece. Mas um milhao de outras coisas boas envolvendo o universo plus size, altista, mulheres com câncer de mama, crianças abandonadas e outros assuntos; também acontecem. E por que isso nao é mostrado? As superaçoes dao menos ibope que as desgraças?!

O que me deixa feliz nisso tudo, é que até os magros já nao veem graça em um “humor” assim. Quero acreditar que isso tenha soluçao.

Se você também está incorformada com essa situaçao, faça um favor a todas as mulheres: compartilhe este post. O mundo precisa saber que somos muito melhores e maiores do que os tamanhos únicos em que nos colocam.

 

Fê La Salye
Comente Aqui!
Comentários
6 comentários em "#desembucha X Perséfone de Amor à Vida"
  1. Dani Castelucci de Medeiros   29/10/13 • 14h55

    Fe, não sei de quando é esse artigo, mas só o vi agora – e amei. Eu não assisto novela, mas ultimamente elas estão tão previsíveis que só com as capas de revistas e propagandas já se pode acompanhar bem. E, além de um insulto à inteligência do público (alô? rir porque uma mulher é gordinha e atrapalhada é tão anos 20!!), é mais um aliado da ditadura da magreza. Veja bem – emagrecer é saúde. Sem dúvida. Concordo que há pessoas acima do peso que são saudáveis, mas invariavelmente seu corpo vai sentir aquele excesso de gordura visceral e adoecer. MAS a obesidade é uma síndrome, uma doença como tantas outras que deve ser tratada com respeito e atenção. Não como motivo de piada. Por que é feio rir de alguém com uma deficiência física, mas é legal rir de alguém obeso? Eu estou sim mais feliz hoje, com 15 quilos a menos, do que era no começo do ano. Porque, para mim, era um sonho entrar nas roupas que não usava há anos. Mas minha maior motivação foi a saúde, foi estar pronta para engravidar. Mas isso está sendo deixado tão a segundo plano, com ditaduras como essa reforçada por essa novela!! Obrigada por trazer o tema!! :)

    • fernanda   29/10/13 • 20h26

      Menina, resolvi falar disso hoje porque nao suportava mais. E é bom ver que muita gente pensa o mesmo. Bjinhos

  2. Fabiana Silva   29/10/13 • 15h48

    Nossa que alivio ler algo como seu post,
    eu ja estava imaginando se eu era a única louca q estava pensando de forma dura sobre o que a novela retrata,
    Estes dias entrei em conflito aqui com minha equipe de trabalho, quando tentei explicar que a novela foge e muito da realidade e que “Se as pessoas tinham preconceito, do modo como a novela retrata com tando empenho o Fato da Persófone ser gorda, o fato de que é bizarro algum homem amar uma gorda, agora essas mesmas pessoas cuja esse preconceito passava até despercebido,
    agora sim com o apoio da novela o preconceito FUTURO esta garantido.
    Teve momentos que ao ver a novela q mudei de canal, tamanho absurdo que vi quando notei como os amigos do marido da Persófone na novela a chamam. Na vida real não é assim, primeiro que poucos nos importamos com o marido do próximo (a não ser q ele seja seu amante…rs) de restante se ele casou com uma gorda, negra, branca… pouco nos diz respeito. Nós seres humanos as vezes sim quando não gostamos de alguém, costumamos o chamar de forma ofensiva, provocativa, mas não é o caso da Persófone.

    Fico muito chateada com o incentivo que este autor afirma que uma mulher gorda não deve ser feliz, e fico mais triste ainda, sabendo das 1 Bilhão de cabeças fracas q existem no mundo q … muita gente mas muita gente acha que ser gordo é passar por isso.

    Olha não conhecia seu blog, mas amei o que li e tomei a liberdade de expressar aqui minha indignação,

    Um grande beijo p ti.

    Fabiana

    • fernanda   29/10/13 • 20h27

      Fabiana, seja bem-vinda e muito obrigada pelo seu comentário. Realmente, é um absurdo essa novela e essa personagem, especialmente. Por isso que me manifestei porque é uma atitude que nao pode ser aceita. Bjinhos

  3. Milena F. - Viver Plenamente Paris   24/11/13 • 18h53

    Assisti alguns episódios dessa novela quando estive no Brasil em julho e fiquei chocada com algumas cenas. Por exemplo, em uma delas essa personagem conseguia estar com um homem, mas aí ele a prendeu na cama e começou a bater nela, que gritava, mas a amiga ouviu e pensou que enfim ela estivesse transando com alguém (até interferir). Durante essa cena, várias pessoas estavam olhando a novela e rindo, achando tudo isso muito engraçado… Meu marido que não entende português e viu as imagens veio me dizer que não entendia porque estavam tratando como comédia um caso de agressão contra uma mulher.
    Fiquei sem saber o que dizer, nem eu entendi…

    Gostei muito da sua reflexão!

    • fernanda   25/11/13 • 10h48

      Milena, essa novela é um completo absurdo. É voltar no tempo e em um tempo onde todos os preconceitos eram vistos como normais. Nao entendi porque ainda faz sucesso. Beijos, querida!

Anterior
Próximo
Voltar para a home