10 jun 2015

10 erros que os turistas mais cometem

VIAGEM > TRAVEL TIPS > Planejamento

5727263344_7cbca6d91f_o

Estamos em uma época em que as pessoas se planejam muito mais para viajar do que antigamente mas ainda assim é comum que cometamos alguns erros na hora de viajar.

Tenho uma certa experiência com viagens, não só por ser um dos assuntos mais lidos no blog mas por realmente reservar um tempo para isso sempre que possível, então hoje eu quero compartilhar algumas coisas que aprendi com os meus erros e vendo a dificuldade de outros turistas pelos países que andei. Olhem só:

1. Malas enormes ou mais de uma mala

mala

Quem nunca levou a casa dentro de uma mala, não usou nem metade, carregou peso à toa e até pagou pelo excesso de bagagem, que atire o primeiro passaporte. Esse é um erro que você precisa evitar. Lembre-se que viagem não é desfile de moda. Aqui vão algumas dicas pra te ajudar nessa missão:

  • Imagine que você vai viajar por 1 semana. Ao terminar de escolher as roupas para esse tempo de viagem, olhe pra elas e faça a seguinte pergunta: se eu ficasse 1 semana em casa, indo aos meus compromissos habituais, eu usaria todas estas roupas? Parece um exercício bobo mas é mais lógico do que você imagina. Você apenas vai mudar de cenário por uns dias e não mudar de vida.
  • Leve roupas que combinem ao máximo entre si e que permitam vários looks com as mesmas peças. Eu fiz um vídeo ensinando técnicas de como diminuir e aproveitar melhor o espaço da sua mala. Clique aqui para ver.
  • Leve uma troca de roupa simples na bagagem de mão. Nunca se sabe se a mala vai extraviar. E se isso acontecer, confira as dicas deste post aqui.

2. Não contratar um seguro viagem

seguro-viagem

O brasileiro está entre os povos mais otimistas do mundo, especialmente no quesito viagem. Sempre achamos que nada de ruim pode acontecer numa viagem e que investir em um seguro é perder dinheiro. Sim, seguro é um serviço que você contrata esperando não usar mas precisar usar e não ter, é acabar com a viagem em segundos. Roubos, doenças, perda de documentos, mala extraviada e outros problemas podem acontecer em qualquer lugar do mundo e não é uma passagem aérea tão sonhada que vai evitar esse caos. Se esse ítem ainda não está no seu planejamento, comece a considerá-lo.

3. Não ter os telefones de emergência do destino escolhido

emergencia

Esse ítem é parecido ao ítem 2. Se as pessoas dificilmente sabem os telefones de emergência do próprio país, que dirá do país escolhido para viajar. Só que no país da gente fica mais fácil: nós falamos o idioma, é fácil gritar socorro e ser entendido. Mas em outro país, falando mais ou menos o idioma e sem ter pra quem recorrer, o problema pode ficar maior ainda. Não saber os golpes que são aplicados com turistas nesse local, é virar presa fácil também. Neste link eu dou algumas dicas de telefones e cuidados emergenciais em viagens e neste link alguns golpes que você deve evitar em Santiago.

4. Não fazer um roteiro

Hand writing travel plan

Esse é um erro grave. Quando você não faz um roteiro para cada um dos dias da sua viagem você está empregando mal o seu tempo naquele destino e consequentemente, o seu dinheiro. Lembre-se que você não conhece esse lugar e que dificilmente voltará a ele quando puder viajar de novo. Pesquise bastante e monte o seu roteiro. Se não quiser ter esse trabalho, contrate uma agência de turismo mas não vá sem planejamento. Viajar é curtir e curtir é bem diferente de não saber pra onde ir.

5. Deixar pra comprar em outro momento

travel_souvenir

Sabe aquele produto que encheu seus olhos quando você passou por determinado ponto turístico? Compre ali mesmo! Dificilmente você terá tempo de voltar àquele lugar e o tempo em viagem é muito curto para dedicar horas do dia comparando preços de um mesmo produto em vários lugares. O que acaba acontecendo é o turista ir embora arrependido de não ter comprado. Na vida real, o ideal é pesquisar antes de comprar. Na vida de um viajante, o ideal é controlar os impulsos mas sem deixar de encarar cada oportunidade como única, afinal, seu tempo ali é curto.

6. Pagar caro por internet ou telefonia

celular

É uma ligação pra avisar que chegou bem, uma entrada rápida no instagram para subir uma foto e pronto: seu dinheiro com internet e telefonia foram embora em segundos. Nunca esqueça de deixar o telefone no Modo Avião e use o wi-fi grátis de cada lugar. Às vezes é interessante comprar um chip pré-pago para usar neste país. Aos que vierem ao Chile, eu já dei essa dica no post FAQ Chile, categoria Internet & Telefonia. Aliás, quem vem ao Chile não pode deixar de ler este post. E sobre as ligações, aproveite que agora dá para ligar pelo WhatsApp.

7. Não pesquisar opções mais em conta naquele destino

barato

Cada país tem seus pontos turísticos, lugares mais visitados e atrações mais procuradas. Visite ao máximo todas as que puder mas não ignore as opções que outros turistas desconhecem. Lugares menos frequentados são mais baratos e podem ser igualmente bonitos e legais. Sem contar que todos os países possuem também atrações gratuitas. Se quiser conhecer as do Chile, clique aqui e se quiser saber onde comer mais barato, clique aqui.

8. Não avaliar suas condições físicas

cansada

Viajar é sinônimo de andar o dia todo, subir, descer, se cansar. Se você não tiver o mínimo de preparo físico sua viagem pode significar aquela dor que você sentiu no primeiro dia de academia, se é que você fez academia um dia. Se você não é fã das atividades físicas, tente ao menos fazer caminhadas 1 mês antes da viagem para que seu corpo comece a se adaptar ao ritmo. Voltar mais cedo para o hotel devido ao excesso de cansaço é também desperdiçar tempo e dinheiro. É claro que uma hora você vai se cansar, mas se o máximo que você caminha na semana é até o elevador, sua viagem pode ficar bem complicada, ainda mais se for para algum local com fortes mudanças climáticas, terrenos irregulares e na altitude.

9. Depender demais dos guías turísticos

sem guia

É muito bom ter um guia nas viagens porque você acaba tendo acesso a informações que talvez não tivesse de outra maneira mas se esse guia não for exclusivo, você vai dividir a atenção dele com mais pessoas o que pode em alguns casos não valer muito a pena. Eu gosto muito de montar meus próprios roteiros e contratar guias para tours específicos porque dessa forma também tenho a chance de ver aquele novo mundo sob a minha ótica, no meu tempo e utilizando os serviços dele só em locais extremamente peculiares. Vou dar um exemplo prático: conheci Buenos Aires apenas com um mapa e um roteiro nas mãos e tive acesso a tudo o que os turistas com agências também viram, no entanto, quando fui à Machu Picchu eu fiz questão de contratar um guia porque era um local totalmente cultural, onde a graça é saber cada detalhe da história. O mesmo aconteceu na Isla de Pascua. Isso é uma coisa que as viagens vão te ensinando.

10. Achar que tudo é muito próximo

perto

É bem comum que os turistas escolham o centro das cidades para se hospedar porque o centro geralmente reúne tudo mas ao contrário do que se pensa, nem sempre é barato se hospedar no centro de cada cidade importante e aí as pessoas optam por bairros mais distantes. O problema em fazer isso é escolher um hotel que não fique próximo a uma estação de metrô. Outro erro frequente é se hospedar próximo ao aeroporto, já que boa parte deles ficam afastados de tudo. Às vezes o que você economiza na hospedagem, acaba gastando com transportes e alimentações que você não previa porque não tinha ideia que estava tão afastado de tudo. E outro detalhe importante é que nem tudo que está no centro pode ser feito à pé então a ideia de se hospedar próximo à uma estação de metrô ou trem, continua valendo, bem como consultar um mapa antes de montar um roteiro para aproveitar de ver tudo o que é realmente próximo numa tacada só.

Espero que tenham gostado. Se já cometeram algum desses erros, contem pra mim como foi e se lembram de mais algum erro, comentem também. Nossas opiniões podem ajudar mais pessoas!

 

 

Fê La Salye
Comente Aqui!
Comentários
6 comentários em "10 erros que os turistas mais cometem"
  1. luana   15/06/15 • 12h39

    oi fê! estou indo para santiago no inicio de agosto, gostaria de saber como é a aceitação dos chilenos com os brasileiros, se são simpáticos ou mais fechados, por exemplo: as pessoas em geral, os vendedores dos shoppings.. outra duvida que eu também gostaria de saber é se os taxistas precisam do endereço completo para chegar no ponto desejado ou se só dando um ponto de referencia eles vão?!.

    • fernanda   19/06/15 • 08h29

      Oi Luana! Os chilenos gostam muito dos brasileiros. Sobre o táxi, o ideal é você ter o endereço ou um ponto de referência. Sobre o atendimento, recomento o post “Características do comércio chileno”. Obrigada!

  2. Larissa   30/07/15 • 17h46

    Mala, não consigo ser objetiva nunca. Tenho a sensação que vou precisar de tudo :(. Adoro suas dicas Fe . bjaoo

    • Fê La Salye   02/08/15 • 21h38

      Eu era assim também mas uma hora a gente aprende a desapegar. Beijos!!!

  3. Márcia Virgínia Araújo Peixinho   23/05/16 • 16h34

    Como sempre você arrasa em seus comentários.Conheci Santiago em 2014 e foi uma experiência Ímpar. Como tive que ir sozinha analisei todos os detalhes, porém comobeta minha primeira viagem sozinha optei por contratar agência para as visitas que pretendia fazer. Porém ao término dos passeios fazia meus roteiros sempre dentro do que havia previsto. Sempre acompanhada de um mapa e observando detalhes que auxiliariam a me situar. Pretendo voltar mas agora será diferente mas com os mesmos cuidados que tive na primeira. Parabéns!

Anterior
Próximo
Voltar para a home