25 fev 2018

Você é influenciado negativamente pelas redes sociais?

LIFESTYLE > Resignifica

Eu amo passar tempo na internet! Nunca fui uma pessoa que ama filmes, que faz maratona de séries ou que tem uma lista de programas favoritos na TV, então quando a internet apareceu eu encontrei uma fonte de informação e entretenimento que era de certa forma parecida ao meu entretenimento real: tinha como ler as coisas que eu gostava, como conversar com outras pessoas e viajar sonhando com novos destinos ao ver informações sobre eles.

Com o tempo criei um blog pessoal que era quase um diário. Logo passei a usar o falecido MSN, o Orkut, vi o boom do Youtube, Facebook, Instagram, Snapchat e etc. Criei esse blog e um canal do qual vocês fazem parte e neles compartilho experiências e aprendo muito com as de vocês.

Mas todo esse tempo no mundo digital, não só como blogueira mas como alguém que trabalha com marketing, também percebi coisas nocivas na internet e acredito que vocês também mas algo que me preocupa ultimamente é o quanto as pessoas pararam de ver beleza e significado em suas vidas depois de acompanhar o estilo de vida de outras pessoas.

Me incomoda um pouco como os criadores de conteúdo estão conduzindo as coisas e com isso não quero acusar ninguém mas é um fato que existe o criador de conteúdo que faz o seguidor se sentir identificado e até amigo e existe o criador de conteúdo que mostra apenas o lado “vida dos sonhos” que faz o seguidor acreditar que a realidade daquele blogueiro ou youtuber é 100% do tempo daquele jeito.

Só que o lado “perfeito” vende e a gente não pode esquecer que por trás de muitos perfis na internet existe o patrocínio de uma marca, contas a pagar, o salário dos que trabalham com esse criador de conteúdo e a importância de sempre aumentar os números: likes, seguidores, visualizações e etc. Infelizmente já faz muito tempo que as regras na internet mudaram e ter bons números conta.

Assim como não estou aqui para acusar criadores de conteúdo, também não estou para colocar sobre eles a totalidade da culpa de como as pessoas estão desvalorizando suas vidas porque eu ainda acho que temos que aproveitar melhor o direto que temos de escolher quem seguimos e até onde determinado conteúdo determina nossas escolhas.

Precisamos lembrar que muita foto de lifestyle estilo Tumblr que vemos por aí, foram produzidas. No dia a dia, uma foto em casa na cozinha não terá uma louça impecável, cada panela no seu lugar, um filtro maravilhosamente harmonioso com a decoração. No dia a dia, boa parte das pessoas não viajam usando todas as tendências de moda num mesmo look.

Todo mundo tem uma vida sem produção, independente de quanto dinheiro tenha na sua conta bancária. Todo mundo acorda de um jeito que não proporciona a melhor selfie. Todo mundo tem momentos simples e muito felizes que nem sempre vão parar no feed simplesmente porque são coisas do dia a dia e muitos preferem mostrar o inusitado. E principalmente: todo mundo tem problemas, eles só não precisam necessariamente se transformar em vídeos, stories ou fotos do Instagram.

O que eu quero dizer é que se determinadas influências estão afetando negativamente a nossa autoestima, escolhas, comportamentos, estão nos fazendo esquecer o que construímos, o quanto suamos para conquistar as coisas e o quanto temos de bom pra agradecer, talvez seja o caso de deixar de seguir essas pessoas; porque um influenciador digital só vira influência se a gente se deixar influenciar.

Quando eu decidi mudar a alimentação e escolhi ter algumas inspirações no feed, passei a seguir pessoas parecidas com meu estilo de vida que também conseguiram seus objetivos e ocultei do feed as musas de corpo escultural; não porque elas tivessem fazendo um trabalho prejudicial mas porque naquele momento era importante pra mim conseguir mudar de vida e não ganhar um motivo para me frustrar caso eu não chegasse naquele padrão. Porque não chegar naquele padrão de musa de repente me faria não valorizar aquela 1 semana completa que eu consegui comer de forma saudável. Entende a diferença?

Quando eu constatei a infertilidade, dei preferência para os perfis de famílias que enfrentaram situações similares mas conseguiram realizar o sonho da maternidade e ocultei do feed os perfis daquelas mães que de repente nem planejaram ou queriam mas veio o 2º filho; não porque elas eram uma má influência mas porque eu precisava me apoiar em casos similares ao meu para evitar mais sofrimento.

Sim, a internet mudou muito mas no fundo tudo ainda se trata de conexão e identificação, então se pergunte sempre o que é preciso fazer para se sentir conectado e identificado com aquilo que te faz feliz. Quando essa pergunta for respondida, vai ser fácil ficar mais seletivo, inclusive nas redes sociais.

Fê La Salye
Comente Aqui!
Comentários
1 comentário em "Você é influenciado negativamente pelas redes sociais?"
  1. João Witor Melo   26/02/18 • 19h17

    A primeira coisa que fiz ao perceber os malefícios que as redes sociais estavam me causando foi excluir tudo, restando apenas o Instagram. E mesmo ficando só com ele, preciso ficar atento. A tentação de passar horas e horas analisando feeds e assistindo stories é gigante.
    O que eu faço regularmente (pelo menos a cada três meses) é dar uma “enxugada” nos perfis que eu sigo (porque, se deixar, a gente vai seguindo tudo e todos rsrs).

Anterior
Próximo
Voltar para a home